sexta-feira, 15 de abril de 2011

Tratamento de fraturas






http://www.wgate.com.br/conteudo/medicinaesaude/fisioterapia/traumato/smith/smith1.jpg

Os princípios básicos do tratamento da fratura são extremamente simples. Inicialmente se a fratura é deslocada ou angulada, ela é reduzida, de tal forma que os fragmentos da fratura estejam satisfatoriamente alinhados, essa etapa ajuda a prevenir ou minimizar deformidade resíduas. A fratura então imobilizada ou fixada, até que o processo de fixação natural una os ossos quebrados.

Uma vez atingido uma redução satisfatória, a fixação mantém a redução durante o processo de cicatrização com fraturas instáveis e fraturas intra-articulares desalinhadas, a fixação externa com gesso é geralmente insuficiente. Nestes casos, os fragmentos são cirurgicamente expostos, reduzidos e fixados com algum tipo de dispositivo interno de fixação. Muitos dispositivos diferentes, inclusive pinos, parafusos, hastes intramedulares e combinações de placas e parafusos, foram desenvolvidos para estabilizar os fragmentos das fraturas.

O tratamento da fratura por meios de osteossíntese tornou-se mais evidente a partir da Segunda guerra mundial quando a medicina avançou, principalmente com o uso de cobaias humanas e um dos principais grupos foram os alemães que formaram uma associação para otimizar o tempo de recuperação de um soldado fraturado e recoloca-lo de volta em atividade por um curto período de tempo. Esta associação é conhecida nos dias atuais como uma fundação AO especializada em osteossíntese.


OBJETIVO DO TRATAMENTO

A perda da função do envoltório de tecido mole devida à fibrose e à rigidez secundária da articulação somente pode ser evitada pela mobilização precoce. Assim, no tratamento moderno das fraturas, o foco principal não é a consolidação do osso em detrimento das funções, mas sim a restauração das funções dos tecidos moles e articulações adjacentes. Uma deformidade ou uma pseudo-artrose são relativamente fáceis de se corrigir, desde que se mantenha um bom funcionamento do tecido mole, enquanto que a fibrose, obliteração dos planos de deslizantes do tecido mole e a rigidez articular costumam ser permanentes. O cirurgião moderno portanto, direciona o tratamento para o retorno precoce às funções e aos movimentos e considera a união óssea de importância secundária.

O tratamento moderno das fraturas, com ênfase no aspecto funcional, não se resume a abordagem cirúrgica da fratura. Este tratamento utiliza a imobilização do osso por meio de suportes especiais que permitem um retorno imediato a função e ao movimento. Este método pode ser aplicado a fraturas nas quais angulação, rotação, e encurtamento podem ser encontrados ; desta forma sua aplicação está limitada a certas fraturas dos ossos longos. Sua utilização nas fraturas intra-articulares e periarticulares é muito restrita.

O retorno precoce à função total, após uma fratura, somente pode ser alcançado com uma fixação interna suficientemente estável, que elimina a dor e permite que o paciente retorne o movimento, com sustentação parcial de carga sem o risco de falha da fixação, que resultará em consolidação viciosa ou pseudo-artrose.com métodos não-funcionais, o total retorno as funções dificilmente é atingido e, mesmo assim somente depois de prolongado período de reabilitação.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...