quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Saiba mais sobre cistos na mão ou no punho

http://i.ytimg.com/vi/0JtLlxP5Rzs/hqdefault.jpg

Os cistos ou gânglios representam 50 a 70% do total de tumores do tecido mole da mão. Geralmente, o cisto está ligado à camada mais profunda da cápsula articular, tendão ou bainha sinovial dos tendões

Os cistos ocorrem com maior frequência no dorso do punho, na região volar radial do punho ou no interior da bainha sinovial dos tendões. Outras regiões também são acometidas, entre elas: articulação interfalangeana proximal, articulação interfalangeana distal, tendão extensor, túnel carpal, túnel ulnar, intra-óssea

Vários tipos de cistos

 A - Cisto ligado à cápsula articular do ligamento escafóide-semilunar.

B - Cisto multilobular, pequeno cisto intra-articular.

C - Cisto com longo pediculo ligado ao ligamento escafóide-semilunar.

D - Cisto ligado ao tecido conjuntivo da cápsula articular.

E - Cisto intra-ósseo.

F - Cisto ligado ao cisto intra-ósseo: é muito raro; a completa incisão é muito importante.

A alteração estética, dor e diminuição da força de apreensão são as queixas mais freqüentes, estando presente o evento traumático em apenas 10% dos casos. Traumas agudos e microtraumas de repetição parecem ser os fatores
etiológicos no desenvolvimento dos cistos, cuja malignidade não tem sido relatada. Esses podem aparecer de forma súbita ou insidiosa e não respondem bem ao tratamento conservador; podem, no entanto, regredir com o repouso ou aumentar com a atividade; finalmente, podem romper-se ou desaparecer espontaneamente.

terça-feira, 19 de maio de 2015

Saiba mais sobre o Curso online de Radiologia

http://imguol.com/2013/04/09/yan-cabral-mostra-como-ficou-sua-mao-apos-uma-fratura-no-tuf-problema-que-o-tirou-do-reality-show-mesmo-vencendo-sua-luta-1365561944276_615x300.jpg


Para se diagnosticar uma fratura de mão, é necessário que o raio-x seja muito bem feito e traga os detalhes da localização e características.

Entender como um exame de imagem é feito e os benefícios que ele pode trazer para o profissional faz com que  blog indique o Curso online de Radiologia e Analise de Imagem e  do Portal Educação.

Profissionais da Radiologia podem agora aprimorar seus conhecimentos e habilidades, basta participar deste curso, que explicará sobre todas as técnicas e propriedades da radiologia, Raios X, radiografia, tomografia computadorizada e outros.

É uma ótima indicação para quem precisa aprimorar a analise de imagens, principalmente da mão.

Até a próxima

terça-feira, 31 de março de 2015

Considerações importantes sobre Fraturas

https://ortopediasp.files.wordpress.com/2012/04/fratura-boxer-2.jpg

Você já presenciou a queda de alguém? Soube como agir? Se for caso de fratura – a primeira providência é imobilizar o membro lesionado na posição em que ele está até que o diagnóstico final seja feito no hospital. Colocar uma tala, por exemplo, ajuda também a reduzir a dor, o inchaço e evitar que o machucado desenvolva para algo mais grave.

Nunca se deve tentar colocar o osso na posição correta ou tentar movimentar o membro lesionado – nesse caso, é preciso primeiro ir imediatamente ao hospital. Se, além da fratura, houver ferimento, a recomendação é limpá-lo com água corrente e cobri-lo com material limpo até a chegada do serviço de emergência. Em caso de sangramento abundante, os especialistas explicam que é preciso fazer uma compressão moderada na ferida para estancar o sangue.

Existem ossos mais fáceis de colar e outros que dificilmente se reconstituem sozinhos, como o do quadril, por exemplo. Já os ossos dos braços têm uma vascularização maior, o que facilita a recuperação.

idade da pessoa também influencia na recuperação do osso. Crianças têm maior facilidade de refazer as estruturas por causa dos ossos elásticos e porosos e também porque estão em fase de crescimento, quando a capacidade do corpo de desenvolver é maior do que a do adulto. Já os idosos demoram mais para se recuperar porque, com o passar do tempo, a formação das células ósseas diminui.

No caso das crianças, como a recuperação é rápida, não há a necessidade de uma imobilização mais intensa ou demorada. Porém, é importante que o osso ganhe uma resistência maior para evitar que um novo trauma frature o mesmo lugar – por isso, a imobilização e a medicação ajudam, principalmente no controle da dor para deixá-la mais confortável.

Considerações importantes sobre Fraturas

https://ortopediasp.files.wordpress.com/2012/04/fratura-boxer-2.jpg

Você já presenciou a queda de alguém? Soube como agir? Se for caso de fratura – a primeira providência é imobilizar o membro lesionado na posição em que ele está até que o diagnóstico final seja feito no hospital. Colocar uma tala, por exemplo, ajuda também a reduzir a dor, o inchaço e evitar que o machucado desenvolva para algo mais grave.

Nunca se deve tentar colocar o osso na posição correta ou tentar movimentar o membro lesionado – nesse caso, é preciso primeiro ir imediatamente ao hospital. Se, além da fratura, houver ferimento, a recomendação é limpá-lo com água corrente e cobri-lo com material limpo até a chegada do serviço de emergência. Em caso de sangramento abundante, os especialistas explicam que é preciso fazer uma compressão moderada na ferida para estancar o sangue.

Existem ossos mais fáceis de colar e outros que dificilmente se reconstituem sozinhos, como o do quadril, por exemplo. Já os ossos dos braços têm uma vascularização maior, o que facilita a recuperação.

idade da pessoa também influencia na recuperação do osso. Crianças têm maior facilidade de refazer as estruturas por causa dos ossos elásticos e porosos e também porque estão em fase de crescimento, quando a capacidade do corpo de desenvolver é maior do que a do adulto. Já os idosos demoram mais para se recuperar porque, com o passar do tempo, a formação das células ósseas diminui.

No caso das crianças, como a recuperação é rápida, não há a necessidade de uma imobilização mais intensa ou demorada. Porém, é importante que o osso ganhe uma resistência maior para evitar que um novo trauma frature o mesmo lugar – por isso, a imobilização e a medicação ajudam, principalmente no controle da dor para deixá-la mais confortável.


segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Causas das fraturas dos dedos




Os dedos são facilmente sujeito a lesões durante as atividades diárias e as lesões dos dedos das mãos estão entre as mais freqüentes em pronto socorro.

A fratura do dedo é muito comum em competições esportivas, acidentes de trabalho e quedas.

Os dedos que se fraturam com mais frequência são o polegar, dedos indicador e médio, enquanto as fraturas do dedo anelar são menos freqüentes.

É possível quebrar um dedo durante um jogo de futebol, basquetebol ou voleibol, se a bola provoca uma distorção.

A causa de uma fratura do dedo pode afetar crianças e adultos e pode ser até um mesmo descuido ao trabalhar com serras, brocas e outras ferramentas.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Fisioterapia na fratura de escafóide



Certa vez, atendi no meu consultório um paciente que tinha fraturado a mão. Brincando com o filho, se desequilíbriou, apoiou o corpo com a mão e acabou numa fratura de escafóide.  Não foi a única fratura de mão que atendi na minha ida profissional mas esse paciente deu muito trabalho, simplesmente porque ele era muito indisciplinado. E acreditem: para um fisioterapeuta, não existe coisa pior do que um paciente que não segue as orientações fora do consultório.

O punho é composto por 8 pequenos ossos, posicionados entre os ossos do antebraço e da mão. Existe um osso próximo ao polegar que tem 2 nomes: Navicular ou Escafóide. A fratura desse osso, a fratura do escafóide é caracterizada pelo rompimento da extensão de um osso, ou seja, ele se quebra. Quando esse osso é fraturado, existe uma grande preocupação em relação a sua calcificação, porque a sua irrigação sanguínea pode ter sido comprometida.


Geralmente, o paciente precisará usar aparelho gessado no braço, incluindo o polegar, podendo ou não chegar acima do cotovelo, por pelo menos 12 semanas. Senão houver a calcificação perfeita, a cirurgia é indicada. Outro caso que a cirurgia e indicada é quando ha a necrose avascular, quando alguma parte do osso “morre” pela falta de irrigação sanguínea. É retirado este fragmento do osso ou colocado enxerto e osteossíntese.

Depois desse período, de mais ou menos três meses, o paciente é encaminhado à fisioterapia, para reabilitação funcional da mão. Por estar algum tempo sem movimentar a mão por causa da imobilização, o trabalho da fisioterapia é doloroso e requer paciência.

Veja aqui alguns exercícios


Os exercicios pode ser dividios em exercícios de alongamento e exercícios de construção de força.

Exemplos de exercicios de alongamento
Flexão e distensão do pulso para cima e para baixo: Sente-se em uma cadeira e coloque o pulso lesionado contra o seu joelho (palma da mão virada para baixo). Com a mão aberta, pressione-a para baixo e estique-a por cinco segundos. Em seguida, mova sua mão para cima e estique puxando-a de volta para seu corpo. Faça 10 repetições dos mesmos movimentos com a palma da mão voltada para cima.

Flexão e distensão do pulso para a esquerda e direita: mantendo a mesma posição sentada (palma virada para baixo), mova sua mão para a esquerda e estique-a. Mantenha a posição por cinco segundos. Faça o mesmo movimento para o lado direito. Repita 10 vezes. É importante mover o pulso em todas as direções para recuperar o movimento completo e flexibilidade.

Exercícios de construção de força
Com exceção do exercício de bola, limite os exercícios para duas ou três vezes por semana. Eles vão "rasgar" mais fibras musculares nos braços, que requerem um período de recuperação. Se você não possui halteres, use um martelo ou uma lata de sopa para os dois últimos exercícios.

Aperto de bola: Aperte uma bola de borracha ou de tênis na palma da sua mão. Segure por cinco segundos e depois relaxe. Realize 10 repetições completas. Este exercício de compressão pode ajudar na recuperação de um pulso quebrado.

Rotação de pulso: Sente-se em uma cadeira ou banco com a mão sobre o joelho (palma da mão voltada para cima). Pegue um haltere leve e abaixe-o com apenas o movimento da mão. Levante-o e puxe sua mão em direção a seu corpo enquanto você contrai os músculos de seu antebraços. Repita 10 vezes. Use pesos ligeiramente mais pesados​​ conforme o pulso ficar mais forte.

Rotação inverso de pulso: É semelhante à rotação do pulso regular, só que você vai realizar este exercício com as palmas das mãos viradas para baixo. Novamente, use um haltere leve, pois os músculos extensores que você trabalhará neste exercício não são tão fortes quanto os músculos flexores (exercício anterior). Simplesmente eleve a abaixe o peso, tal como antes, dobrando os músculos na parte superior do movimento. Faça 10 repetições.

Esses exercícios são alguns exemplos que podem ser utilizados. Não significa que eles serão todos usados e nem que eles são indicados para todas as fases do tratamento.  Só o fisioterapeuta vai saber a  hora e a forma de uso,

Boa sorte!

Escrito por Daniela Souto, fisioterapeuta e profissional de Educação Fisica, que escreve no  Faça Fisioterapia, no blog da Educação Fisicaa e atua pela Fisioquality 

Ícone Facebook Ícone Twitter Ícone Google+ Ícone Instagram http://www.sergiofasilva.com/static/images/linkedin.png

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...